Saúde e Bem Estar

Como apenas 39 minutos de sono podem melhorar ou prejudicar a saúde, a felicidade e o dia escolar de seu filho

Uma das chaves para manter seu filho feliz e saudável é garantir que ele durma o suficiente de forma consistente, aponta um novo estudo.

Isso não é surpresa para os pais, certo? Mas acontece que mesmo 39 minutos podem fazer a diferença, mostraram os resultados.

No estudo, publicado na quarta-feira (15) no Jama Network Open, os pesquisadores monitoraram 100 crianças de 8 a 12 anos que vivem na Nova Zelândia. As crianças alternaram entre uma semana indo para a cama uma hora antes e uma hora depois – com uma semana no horário normal entre as duas.

Então, por meio de um questionário, as crianças e seus pais avaliaram seus distúrbios e prejuízos do sono durante o dia. Os pesquisadores também aplicaram um questionário às crianças sobre sua qualidade de vida relacionada à saúde.

As crianças que participaram do estudo dormiam regularmente entre oito e 11 horas por noite e eram consideradas geralmente saudáveis, disse o estudo.

Depois de uma semana experimentando 39 minutos a menos de sono por noite, as crianças relataram menor bem-estar geral e capacidade de lidar com a escola, disse o estudo.

“Todos nós sabemos que nos sentimos melhor com uma boa noite (de sono), mas há muito poucos dados usando projetos experimentais que realmente mostram (quão) grande pode ser o impacto”, disse a principal autora do estudo, Rachael Taylor, por e-mail. “Esse tipo de dado interventivo é a única maneira de ‘provar’ que a mudança de um comportamento realmente afeta outro”.

O estudo cobriu muitos aspectos do bem-estar, incluindo uma avaliação de como as crianças se sentiam física e psicologicamente em seus relacionamentos com pais e colegas, e como se sentiam em relação à escola, disse Rachael, professora pesquisadora de medicina da Universidade de Otago na Nova Zelândia.

A avaliação incluiu perguntas sobre se as crianças sentiam que eram capazes de prestar atenção na escola e se sentiam fisicamente aptas, e se tinham energia para se divertir e passar o tempo com seus amigos.

Nem todas as crianças foram capazes de reduzir o sono durante toda a hora do estudo, disse a especialista. Mas qualquer quantia que elas reduziram causou um declínio em seu bem-estar, disse ela. E os impactos foram maiores se os participantes do estudo perderam meia hora ou mais de sono, acrescentou ela.

“Não vimos esse tipo de estudo examinar a qualidade de vida ou os resultados da qualidade de vida relacionados à saúde, que sabemos ser realmente importantes porque geralmente é algo que realmente pode ressoar com famílias, professores, funcionários da saúde pública, quando pensamos em como é importante promover um sono saudável”, disse Ariel Williamson, especialista em sono pediátrico do Hospital Infantil da Filadélfia.

Ariel, que também é professora assistente de psiquiatria e pediatria na Escola de Medicina Perelman da Universidade da Pensilvânia, não esteve envolvida na pesquisa.

Priorizando o sono

As crianças do estudo foram monitoradas de 4 de julho a 1º de setembro de 2022 e ainda há dúvidas sobre os impactos a longo prazo, disse Rachael.

“Não sabemos qual pode ser o efeito a longo prazo – talvez as crianças se adaptem, talvez não e seu bem-estar piore ainda mais”, disse Rachael em um e-mail.

Enquanto isso, ela aconselhou as famílias “a não subestimar o valor do sono e a priorizar o sono tanto quanto possível”.

Pode ser fácil evitar um pouco de sono perdido, mas dormir menos com boa qualidade pode resultar em comer mais alimentos doces, piorar o desempenho escolar e diminuir a saúde mental, acrescentou Rachael.

E embora o sono adequado e suficiente seja importante, também é crucial fazer um plano individualizado para sua família, disse Ariel.

Algumas crianças com diferenças de neurodesenvolvimento, como autismo ou transtorno de déficit de atenção e hiperatividade, têm variações nas necessidades de sono, por exemplo, ou horários de trabalho ou atividades podem tornar difícil ir para a cama tão cedo quanto você gostaria que seu filho fosse, ela acrescentou.

Se você acha que seu filho poderia se beneficiar de mais sono, Ariel recomenda começar devagar e até atrasar a hora de dormir em 15 minutos.

E a qualidade é tão importante quanto a quantidade. Para ter um sono mais reparador, ela recomenda que as crianças tenham a mesma hora de dormir todas as noites (mesmo nos fins de semana), desliguem as telas 30 minutos antes de dormir e sigam uma rotina de dormir, acrescentou ela.

Para algumas crianças, isso pode significar atividades calmantes que as levem para a cama, mas para outras crianças isso pode significar dançar ou se alongar para preparar o corpo, disse Williamson.

Algumas famílias podem priorizar a rotina de banho, livros e cama para crianças mais novas, mas crianças mais velhas e até adultos podem se beneficiar seguindo uma programação que alerte o cérebro e o corpo de que é hora de se acomodar, disse ela.

“Às vezes, acho que se nos concentrássemos mais no sono, muitos outros aspectos da saúde e bem-estar das crianças seriam muito melhorados”, disse Rachael. Afinal, ela disse, quem não gosta de uma boa noite de sono?

Artigos relacionados

Deixe um comentário

Botão Voltar ao topo