Saúde e Bem Estar

Será que já dissemos adeus aos saltos altos?

Na esfera da moda em constante mudança, onde as tendências bombam ou arrefecem com a mudança das estações, uma mudança específica chamou a atenção dos especialistas ultimamente: um declínio gradual na popularidade dos saltos altos. Quando foi a última vez que você viu um salto fino?

Outrora sinônimos de elegância e sofisticação, os símbolos imponentes da “feminilidade” têm saído silenciosamente dos holofotes, sendo substituídos por uma nova onda de opções voltadas para o conforto.

Poderia a pandemia ter dado o golpe de mestre que levou ao fim do salto alto? O curso alterado de nossas vidas sem dúvida desempenhou um papel na desaceleração do estilo marcante.

Antes que o mundo parasse, os saltos altos reinavam supremos. Essas maravilhas do design não apenas elevavam a estatura, mas também evocavam uma sensação de elegância que transcendia a mera roupa. Os saltos altos eram considerados não apenas um calçado, mas uma porta de entrada para a confiança, o fascínio e uma pitada de glamour indomável.

“Os saltos altos alteram a postura corporal e criam um estilo de andar distinto que pode afetar a forma como os indivíduos se comportam, promovendo uma postura mais ereta e aumentando a atratividade e a admiração percebidas dos outros”, disse a Dra. Carolyn Mair, psicóloga cognitiva, consultora de negócios de moda e autora de The Psychology of Fashion.

“Isso pode contribuir para sentimentos de confiança e uma sensação de ser notado e apreciado como feminino, glamoroso ou profissional”.

Novas prioridades para um novo modo de vida

Calçados mais baixos ou salto bloco estão entre as opções preferidas após a pandemia

No entanto, quando a pandemia se intensificou, os saltos altos recuaram do seu lugar de destaque. O interesse sofreu uma queda notável: as vendas de salto alto caíram 65% ano a ano durante o segundo trimestre de 2020, de acordo com dados da empresa de pesquisa de mercado NPD Group.

O culpado? Uma mudança sísmica nas prioridades induzida por um novo modo de vida. O canto da sereia de conforto e praticidade abafou o fascínio dos saltos altos. O aumento do trabalho remoto confundiu as fronteiras entre roupas de negócios e de lazer; os grandes eventos diminuíram em número, substituídos pela ascendência da tendência do atletismo.

“Como resultado da pandemia, muitos de nós priorizamos o bem-estar, o conforto e a praticidade”, disse Mair à CNN. “As oportunidades reduzidas de socialização e participação em ocasiões formais ou elegantes e a adoção generalizada do trabalho remoto levaram à mudança para trajes mais casuais”.

Porém, a questão permanece. Será que a pandemia causou realmente uma mudança tão monumental na popularidade dos saltos altos ou o declínio faz parte de uma tendência mais ampla?

“À medida que a sociedade avança em direção a ideais mais igualitários, há uma rejeição da feminilidade rigidamente definida que associa os saltos altos ao marcador primário da feminilidade”, disse Mair à CNN. “Esta mudança encoraja-nos a abraçar a individualidade, uma gama mais ampla de expressões e a rejeitar calçados que limitem a mobilidade e o conforto”.

Entra: A nova vanguarda do calçado – uma fusão de estilo e conforto que não compromete nenhum dos dois. A presença onipresente de tênis, mocassins e sapatos de salto bloco remodelou o cenário das escolhas de calçados femininos.

Sapatilha estilo bailarina
Sapatilha estilo bailarina / Reprodução/Pinterest

Refletindo uma nova modernidade

Isso se reflete no aumento da popularidade de vários estilos nos últimos anos. Colaborações de designers com Valentino, Proenza Schouler e Rick Owens deram nova vida à clássica sandália Arizona, da Birkenstock – o estilo se tornou uma referência para conforto durante a pandemia, com pesquisas aumentando 225% durante o segundo trimestre de 2020, de acordo com o site Lyst.

Em 2023, as pesquisas por “tênis grossos” e “sapatilhas pretas” aumentaram 70% e 71%, respectivamente, de acordo com a analista da indústria da moda Madé Lapuerta, da empresa Data, But Make It Fashion.

Depois da pandemia, o apetite por saltos altos não havia se recuperado totalmente. Apesar do retorno gradual à normalidade e do aumento do interesse de pesquisa em 177% em comparação com 2020 no terceiro trimestre de 2021 (segundo a plataforma global de compras de moda Lyst), as pesquisas pelo estilo permaneceram notavelmente inferiores aos níveis pré-pandemia, em vez disso, o impulso diminuiu em direção ao conforto de saltos mais baixos e saltos bloco.

“A popularidade dos saltos permaneceu robusta durante e após o período de lockdown, com os saltos permanecendo uma das categorias mais fortes”, disse um porta-voz de Christian Louboutin à CNN. “No entanto, a pandemia despertou o apetite por uma grande variedade de estilos de salto alto, refletindo a mudança no estilo de vida e nas tendências, incluindo plataformas, saltos baixos e bloco”.

Em outros lugares, as vendas de sapatilhas e tênis estão disparando. Os calçados esportivos Gazelle da Adidas aumentaram 143% em popularidade até agora em 2023, e quatro em cada 10 dos produtos mais populares do Lyst Index para o segundo trimestre de 2023 (e 100% dos produtos de calçados) eram sapatos baixos – tênis Onitsuka Tiger Mexico 66, tênis New Balance Aime Leon Dore, sapatilhas arrastão Alaïa e chinelos The Row City.

Sapatilha com bico pontudo / Pinterest/Reprodução

O tema sapatilhas também esteve presente nas passarelas outono/inverno 2023; sapatilhas com bico fino reinaram na Prada e Balmain; Miu Miu e Loewe levaram os mocassins a outro nível, e Burberry e Valentino simplificaram as botas elegantes para os meses mais frios.

À medida que damos um adeus temporário aos saltos altos, permanecem questões sobre a sua trajetória futura. Eles irão encenar um regresso triunfante, reafirmando a sua posição como epítome do fascínio?

“Os saltos altos provavelmente continuarão sendo uma escolha popular para ocasiões especiais, como festas e casamentos”, diz Mair.

No entanto, acrescenta ela, “a evolução da percepção social da beleza e da feminilidade encorajou uma aceitação mais ampla de diversos tipos de corpo, priorizou o conforto e a praticidade, promoveu a autoexpressão e a individualidade e desafiou as normas tradicionais de gênero”.

Sem dúvida que a pandemia reescreveu as regras da moda, inaugurando uma era onde o conforto se entrelaça perfeitamente com a elegância, mas só o tempo iluminará o caminho futuro dos saltos altos. Por enquanto, o estilo não é mais visto como um marcador essencial da feminilidade.

Como disse a Barbie de Greta Gerwig ao descobrir que seus pés haviam se tornado planos em vez de arqueados artificialmente: “Eu nunca usaria salto alto se meus pés tivessem esse formato”.

Related Articles

Leave a Reply

Back to top button