Saúde e Bem Estar

Cochilos durante o dia podem ser bons para saúde do cérebro, diz estudo

Tirar cochilos durante o dia pode ajudar a manter a saúde do cérebro à medida que envelhecemos, de acordo com um novo estudo. No entanto, pesquisas anteriores mostraram que cochilar em excesso também pode ser prejudicial.

A soneca habitual foi associada a um maior volume total do cérebro, que está associado a um menor risco de demência e outras doenças, de acordo com pesquisadores da University College London (UCL) e da Universidade da República do Uruguai.

Em média, a diferença no volume cerebral entre aqueles que cochilam e os que não cochilam foi equivalente entre 2,5 a 6,5 anos de envelhecimento, disseram os pesquisadores.

“Nossas descobertas sugerem que, para algumas pessoas, cochilos curtos durante o dia podem ser uma parte do quebra-cabeça que pode ajudar a preservar a saúde do cérebro à medida que envelhecemos”, disse a autora Victoria Garfield, pesquisadora sênior da UCL, em um estudo publicado na revista Science.

Embora o estudo tenha sido “bem conduzido”, as limitações incluem o fato de que os hábitos de cochilo foram autorrelatados, disse Tara Spires-Jones, presidente da British Neuroscience Association e vice-diretora do Center for Discovery Brain Sciences da Universidade de Edimburgo, que não participou da pesquisa.

Os resultados mostram “um aumento pequeno, mas significativo, no volume do cérebro em pessoas que têm uma assinatura genética associada a tirar sonecas durante o dia”, disse ela ao Science Media Center.

“Mesmo com essas limitações, este estudo é interessante porque acrescenta dados que indicam que o sono é importante para a saúde do cérebro”, disse ela.

Em resposta, a principal autora do estudo, Valentina Paz, pesquisadora da Universidade da República do Uruguai e da UCL, disse à CNN que concordava que “o trabalho tem algumas limitações”, mas estão “confiantes” no método usado.

tirar uma soneca curta, de 5 a 15 minutos, no início da tarde pode beneficiar aqueles que precisam / Jamie Street/Unsplash

Abordagem estatística

No estudo, publicado na segunda-feira (19) na revista Sleep Health, os pesquisadores usaram uma técnica chamada randomização mendeliana para analisar amostras de DNA e exames cerebrais de 35.080 pessoas com idades entre 40 e 69 anos envolvidas no estudo UK Biobank, um grande banco de dados biomédico e recurso de pesquisa que seguiu residentes do Reino Unido de 2006 a 2010.

A randomização mendeliana é uma abordagem estatística que usa a genética para fornecer informações sobre a relação entre uma exposição e o resultado.

Os pesquisadores analisaram seções do código genético ligadas à probabilidade das pessoas de cochilar regularmente e, em seguida, compararam os resultados de saúde e cognição do cérebro entre aqueles com os genes do cochilo e aqueles sem.

“Ao observar os genes definidos no nascimento, a randomização mendeliana evita fatores de confusão que ocorrem ao longo da vida e que podem influenciar associações entre cochilos e resultados de saúde”, disse Paz.

No entanto, tal técnica só pode mostrar uma associação entre cochilo e saúde cerebral, não causa e efeito. Além disso, os pesquisadores não tinham informações sobre a duração do cochilo, o que poderia influenciar o conhecimento de o sono ser útil ou prejudicial.

Paz disse à CNN que descobertas anteriores sugerem que “tirar uma soneca curta (5 a 15 minutos) no início da tarde pode beneficiar aqueles que precisam”.

Outra pesquisa mostrou que Idosos que cochilavam pelo menos uma vez ou mais de uma hora por dia tinham 40% mais chances de desenvolver Alzheimer/ Zoë Gayah Jonker/Unsplash

Cochilar também pode ser prejudicial

Enquanto isso, pesquisas anteriores mostraram que cochilos frequentes ou cochilos regulares por longos períodos durante o dia podem ser um sinal de demência precoce em adultos mais velhos.

Idosos que cochilavam pelo menos uma vez por dia ou mais de uma hora por dia tinham 40% mais chances de desenvolver Alzheimer do que aqueles que não cochilavam diariamente ou cochilavam menos de uma hora por dia, de acordo com um estudo publicado na revista “Alzheimer’s and Dementia: The Journal of the Alzheimer’s Association”, em março de 2022.

E em julho de 2022, um estudo descobriu que pessoas que cochilam com frequência têm maior chance de desenvolver pressão alta e sofrer um derrame.

Os participantes do estudo que normalmente cochilavam durante o dia tinham 12% mais chances de desenvolver pressão alta ao longo do tempo e 24% mais chances de ter um derrame em comparação com pessoas que nunca cochilavam.

“Isso pode ser porque, embora tirar uma soneca em si não seja prejudicial, muitas pessoas que tiram sonecas podem fazê-lo por causa do sono ruim à noite. O sono ruim à noite está associado a problemas de saúde, e os cochilos não são suficientes para compensar isso”, disse o psicólogo clínico Michael Grandner, na época.

Grandner dirige a Clínica de Medicina do Sono Comportamental no Banner-University Medical Center em Tucson, Arizona, e não participou do estudo.

Cochilos excessivos podem ser um sinal de um distúrbio do sono subjacente, disse à CNN o especialista em sono Dr. Raj Dasgupta, professor associado de medicina clínica na Escola de Medicina Keck da Universidade do Sul da Califórnia, em uma entrevista anterior.

“Distúrbios do sono estão ligados a um aumento no estresse e nos hormônios reguladores do peso, que podem levar à obesidade, pressão alta, diabetes tipo 2 – todos fatores de risco para doenças cardíacas”, disse ele. “Eu acredito que cochilar é um sinal de alerta de um distúrbio do sono subjacente em certos indivíduos”.

Related Articles

Leave a Reply

Back to top button
Usamos cookies para personalizar conteúdo e anúncios, fornecer recursos de mídia social e analisar nosso tráfego. Também compartilhamos informações sobre o uso do nosso site com nossos parceiros de mídia social, publicidade e análise. View more
Cookies settings
Aceitar
Rejeitar
Privacy & Cookie policy
Privacy & Cookies policy
Cookie name Active
Agradecemos por escolher o site Concurso Passei Direto. A sua privacidade é uma prioridade para nós. Esta Política de Privacidade explica como coletamos, usamos e protegemos as informações pessoais dos usuários do nosso site. Ao utilizar o Concurso Passei Direto, você concorda com os termos descritos nesta política.
  1. Informações Coletadas:
1.1. Informações Pessoais: Podemos coletar informações pessoais, como nome, endereço de e-mail, número de telefone, e outras informações relevantes quando você se cadastra ou interage com o nosso site. 1.2. Informações de Navegação: Coletamos dados não identificáveis, como endereço IP, tipo de navegador, provedor de serviços de Internet, páginas visitadas e horários de acesso. Essas informações são usadas para melhorar a experiência do usuário e administrar o site.
  1. Uso das Informações:
2.1. Melhoria do Serviço: Utilizamos as informações coletadas para melhorar nossos serviços, personalizar o conteúdo, e fornecer uma experiência mais eficiente e personalizada. 2.2. Comunicações: Podemos utilizar suas informações de contato para enviar comunicações sobre atualizações do site, novos recursos, ofertas especiais, ou outras informações que julgamos relevantes. 2.3. Cookies e Tecnologias Semelhantes: Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes para coletar informações sobre o seu comportamento de navegação no site, o que nos ajuda a personalizar o conteúdo e a melhorar a funcionalidade do site.
  1. Compartilhamento de Informações:
3.1. Parceiros e Fornecedores de Serviços: Podemos compartilhar suas informações com parceiros e fornecedores de serviços que nos auxiliam na operação do site e na prestação de serviços. 3.2. Requisitos Legais: Reservamo-nos o direito de divulgar suas informações pessoais conforme exigido por lei ou quando acreditarmos que tal divulgação é necessária para proteger nossos direitos legais.
  1. Segurança:
4.1. Medidas de Segurança: Implementamos medidas de segurança para proteger suas informações contra acesso não autorizado, alteração, divulgação ou destruição não autorizada.
  1. Seus Direitos:
5.1. Acesso e Atualização: Você tem o direito de acessar e atualizar suas informações pessoais a qualquer momento. Se desejar exercer esse direito, entre em contato conosco. 5.2. Cancelamento de Assinatura: Se não deseja mais receber comunicações nossas, forneça um meio de cancelar a assinatura nas comunicações ou entre em contato conosco para realizar essa solicitação.
  1. Menores de Idade:
O site Concurso Passei Direto não se destina a menores de 13 anos, e não coletamos intencionalmente informações de menores de idade. Se tomarmos conhecimento de que coletamos informações de um menor de idade, tomaremos medidas para remover essas informações.
  1. Alterações na Política de Privacidade:
Reservamo-nos o direito de atualizar esta Política de Privacidade a qualquer momento. Recomendamos que você reveja periodicamente as alterações. A continuação do uso do site após as alterações indica a sua aceitação dessas alterações.
  1. Contato:
Para quaisquer dúvidas, preocupações ou solicitações relacionadas à privacidade, entre em contato conosco através contato@concursopasseidireto.com.br. Ao utilizar o site Concurso Passei Direto, você concorda com os termos desta Política de Privacidade.  
Save settings
Cookies settings