Arte e Cultura

Orquestra Sinfônica da UFRJ em concertos na Rádio MEC – Arte de Toda Gente

Como parte das ações em comemoração aos seus 100 anos de sua fundação, a Orquestra Sinfônica da UFRJ inaugura no dia 4 de abril uma série de concertos radiofônicos em que apresentará ao público gravações realizadas ao longo das últimas décadas, muitas delas ainda inéditas. No programa de abertura, serão executadas obras de Leopoldo Miguez, Henrique Oswald, Edgardo Guerra e Alberto Nepomuceno. A série está inserida no programa Concertos UFRJ, que vai ao ar todas as quintas-feiras, às 22 horas, na Rádio MEC FM, 99.3Mhz, com apresentação do professor e fagotista Aloysio Fagerlande.

Na primeira e na terceira quinta-feira de cada mês, o programa será dedicado à produção artística da orquestra, que inclui concertos gravados ao vivo no Salão Leopoldo Miguez, na Sala Cecília Meireles e no Theatro Municipal – além de fonogramas lançados em CD.

O repertório é formado basicamente por obras de compositores brasileiros de todos os tempos, apresentadas nas temporadas oficial da orquestra e em eventos, como a Bienal de Música Brasileira Contemporânea, o Panorama da Música Brasileira Atual, o Festival Villa-Lobos e a série Brasiliana da Academia Brasileira de Música. O repertório internacional também será eventualmente apresentado, especialmente para destacar a participação de solistas e maestros convidados.

O programa do concerto de lançamento da série, em 4 de abril, às 22h, será o único do mês (confira o programa abaixo), mas a partir de maio e até dezembro, serão apresentados dois programas mensais. A Rádio MEC FM faz parte da Empresa Brasil de Comunicação – EBC – e pode ser ouvida em 99.3 MHz no Rio de Janeiro, além de 87.1 MHz em Belo Horizonte e Brasília, além de no site da emissora, em https://radios.ebc.com.br/aovivo?emissora=radio-mec-fm—rio-de-janeiro.

A programação do primeiro programa é a seguinte:

  1. Leopoldo Miguez

Esboços – Cenas Pitorescas – Série I op.37 – 11’

I- Serenata; II- Pierrot (Cena); III- A Avozinha (Cena); IV- Manhas e reproches (Pequena Valsa); V- Saudade (Canção); VI- Gracejo (Humoreske).

Cordas da OSUFRJ

Regência de Felipe Prazeres

Leopoldo Miguez (1850-1902), conhecido pela autoria do Hino da República e como diretor do Instituto Nacional de Música, foi o primeiro compositor executado pela orquestra no concerto inaugural em 25 de setembro de 1924. As duas séries de Esboços “Cenas Pitorescas” para cordas op. 37 e op.38 são provavelmente as últimas obras compostas por Miguez antes de falecer precocemente. No concerto inaugural da orquestra foram executados dois números da segunda série, op.38. Em Concertos UFRJ será ouvida a gravação da primeira série, op.37, realizada em 31 de outubro de 2021 para os Concertos Sinos, projeto da Funarte desenvolvido em parceria com a Escola de Música da UFRJ.

  1. Henrique Oswald

Elegia heroica à glória de Alberto Nepomuceno (texto de Coelho Neto) – 4’26″

Michele Ramos (soprano), Cláudia Feitosa (piano), Eduardo Biato (harmônio)

Brasil Ensemble (vozes femininas – direção de Maria José Chevitarese)

Cordas da OSUFRJ

Regência de Ernani Aguiar

A obra escrita sobre texto do escritor Coelho Neto em homenagem a Alberto Nepomuceno por Henrique Oswald (1852-1931), outros ex-diretores do Instituto Nacional de Música, foi executada pela primeira vez no segundo concerto da orquestra, em 15 de novembro de 1924 no Salão Leopoldo Miguez, sob a regência de Francisco Braga. A gravação foi realizada em 2014 para o CD “Alberto Nepomuceno – 150 anos”.

  1. Edgardo Guerra

Mélodie dans le style ancien e Sarabande para cordas – 7’25

Cordas da OSUFRJ

Regência de Ernani Aguiar

Edgardo Guerra (1886-1952), violinista e compositor hoje pouco conhecido, fez sua formação em Paris e Londres, no Royal College of Music. Foi professor do Conservatório de Música do Distrito Federal e livre docente e professor honorário da Escola de Nacional de Música. A Mélodie dans le style ancien e a Sarabande são obras originais para violino e piano, transcritas pelo maestro Ernesto Ronchini para formar repertório para a Orquestra do Instituto Nacional de Música. As duas peças, reunidas por Ronchini em uma única partitura, foram estreadas em 14 de setembro e 7 de novembro de 1926, respectivamente, em concertos no Salão Leopoldo Miguez. A única gravação existente das duas obras foi realizada em 17 de junho de 2021, também para Concertos Sinos.

  1. Alberto Nepomuceno

Valsas Humorísticas para piano e orquestra – 21’40

Érika Ribeiro (piano)

OSUFRJ

Regência de Marcelo Ramos

Alberto Nepomuceno é o segundo compositor brasileiro com o maior número de execuções pela orquestra, 80 ao todo, só ficando atrás de Carlos Gomes. As Valsas Humorísticas para piano e orquestra foram executadas pela primeira vez pela orquestra em 31 de outubro de 1939, em concerto regido por Joanídia Sodré, tendo o professor J. Octaviano como solista ao piano. A gravação foi realizada ao vivo no Salão Leopoldo Miguez em 22 de novembro de 2014, em concerto do 52º. Festival Villa-Lobos, tendo Érica Ribeiro como solista e Marcelo Ramos como regente.

Related Articles

Leave a Reply

Back to top button